"A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original."
(Albert Einstein)

6 de set de 2010

I-
você sempre quis que os outros seguissem suas ordens
você sempre quis dominar os outros e o mundo
você sempre achou que era melhor pessoas que poderia existir
que seu exemplo de vida deveria ser seguido por todos que o rodeiam
você sempre achou que podia tudo. que era tudo
como você se sente agora que caiu do trono?
como você está lidando com esta situação que foge ao seu controle?
como você se sente?
frustração?
medo talvez?

você continua igual.
continua achando que é o melhor
isso me envergonha
me dá nojo
me entreistece
e me decepciona
até quando você continuará assim?
o fim está próximo
o abismo entre o céu e terra logo se abrirá para todos sermos julgados e massacrados
e você continuará assim?

entre o céu e terra existe você
você, seus vicios, suas manias
seu egoísmo, sua chantagem, sua cara de soberano
o fim está próximo
o abismo entre o céu e terra logo se abrirá para todos sermos julgados e massacrados
eu sei o que te espera
mas como você reagirá a tudo isso?

liberte-se
largue tudo
siga comigo
venha comigo
não te levarei aos melhores caminhos
mas, pelo menos, estaremos juntos
venha agora
venha depressa
liberte-se
largue tudo
eu sei que dentro de você mora alguém muito melhor
e é essa a minha esperança
então, venha comigo


II-
eu já não sei quem sou
me perdi na neblina, na sombra, na escuridão
aonde estou?
que lugar é este?
sempre me senti fora de contexto
fora dos padrões
fora da realidade
em que mundo estou vivendo?
isto é sonho?
será que a realidade, o mundo real, espera-me depois dessa escuridão

eu já não sei quem sou
me perdi na neblina, na sombra, na escuridão
esse lugar, não é meu lugar
por que estou aqui?
por que vim parar aqui?
eu olho para os lados e só vejo medo
angústia, dor, rancor,
ambição, luxúria, avareza,
traição, egoísmo, vaidade, orgulho
tudo menos o amor
cadê o amor?
não, não esse sentido banal e carnal que dão o amor
eu quero o amor
o simples e puro amor
estou perdida nesse mar de piranhas.


III-
encontrar-me
viver-me
sonhar-me
cair-me
encontrar-me
chorar-me
levantar-me
tocar-me
encontrar-me
sentir-me
sorrir-me
alegrar-me
encontrar-me
cantar-me
correr-me
pular-me
encontrar-me
e, por fim...morrer-me.