"A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original."
(Albert Einstein)

29 de jan de 2012

mais uma vez eu te peço: "paz, por favor"
por que temos que viver num mundo onde o que importa não é aquilo que sentimos mas aquilo que vestimos?
eu não quero mencionar o passado
eu não quero falar do que já se foi
eu quero viver.
o momento não é conflito, o momento não é de guerra...
o momento é de entendimento.
é de sentimentos.
o que importa somos nós, seres humanos de sentimentos, que vibram e choraram aos diversos lances da vida.
a vida...essa grande imensidão...essa dádiva, essa oportunidade.
tão grande para uns...e um grão de areia para outros.
isso depende da importância que se dá a ela.
de que maneira governarmos nossa singela passagem por este local maravilhoso.
por isso que eu digo "paz, por favor"
eu quero poder olhar nos olhos das pessoas e não enxergar mentiras.
não ver o ódio
não ver a raiva
tratemos uns aos outros como irmãos...pois é isso que todos nós somos.
uma imensidão de irmão vivendo juntos num planeta chamado Terra.
num lugar de esperanças.
num lugar que posso chamar de lar.
num lugar que quero que seja feito de amor.
nós não podemos mudar o passado, mas podemos fazer num novo fim.
nada está ou estará perdido.
que escolhas nós tomaremos?
que portas nós abriremos?
o que vamos deixar entrar nesta vida e nas futuras existências?
"paz, por favor"
e um pouco de amor.

10 de jan de 2012

o que nós fizemos da chance que nos foi dada?
que caminhos nós escolhemos?
para onde estamos indo agora?
entre tantas decepções e incertezas...
o que restou em nós?
quais sentimentos carregamos agora?
será que conseguimos nos livrar daquilo que nos fazia tanto mal?
ou será que ainda somos os mesmo?
tapando a vida com uma peneira.
deixando furos em nossa memória.
nós vivemos numa rotina fechada, entre quatro paredes.
sem saída.
sem companhia.
sozinhos desfrutando das nossas falsas ideologias.
eu sinto falta dos dias em que tudo era tão mais fácil.
em que um sorriso alegrava e palavras bonitas acalmavam.
e os nossos sonhos?
aonde foram parar?
parece tudo tão vazio.
tudo tão sem sentido.
será que aproveitamos a chance que os foi dada?
ou será que mais uma vez a desperdiçamos?
tantas perguntas.
aonde está a resposta?
eu preciso decidir isso agora?
é realmente necessário?
acomodar-se a uma situação não é a solução. não traz felicidade. não cura feridas.
depois de tanto cair e levantar o que restou em nós?
no que foi que eu me tornei?
ou eu ainda continuo o mesmo?
tantas perguntas.....
a resposta...
é, eu sei.
a resposta está em mim. somente em mim. não vou acha-la em nada e em ninguém.
mas será que eu quero ouvi-la agora?