"A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original."
(Albert Einstein)

18 de ago de 2011

você surgiu como suave melodia trazida pela brisa; dilatou-se no silêncio de minha alma e fez-se moldura em meu viver.
isso se chama ventura.
há algo em você que transparece no olhar, como estrela no céu atapetado de astros e exterioriza-se num sorriso como canção tocada na harpa dos ventos.
isso se chama ternura...
sem olhar, você me percebe; sem falar você me diz; sem me tocar, você me abraça...
isso se chama sensibilidade.
quando me perco em labirintos escuros, você me mostra o caminho de volta...
quando exponho meus tantos defeitos, você faz de conta que não nota..
se enlouqueço, você me devolve a razão...
isso se chama compaixão.
nos dias em que as horas passam lentas, sem graça e sem luz, nos seus braços eu encontro alento.
quando os dias alegres de verão partem e em seu lugar chega o outono, cobrindo o chão com folhas secas, e o verde exuberante cede lugar ao cinza, nos seus braços eu encontro harmonia.
isso se chama aconchego.
quando você está longe, no espelho da saudade eu vejo refletida a certeza do reencontro.
nas noites sem estrelas, quando a escuridão envolve tudo em seu manto negro, você me aponta a carruagem da madrugada, que vem despertar o dia com suas carícias de luz...
isso se chama esperança.
quando as marés dos problemas parecem tragar em suas ondas as minhas forças, em seus braços eu encontro reconforto.
se as amarguras pairam sobre os meus dias, trazendo desgosto e dor, sua presença me traz tranquilidade.
você é um raio de sol nos dias escuros...
é ave graciosa que enfeita a amplidão azul...
você é alma e é coração...
é ternura e dedicação...
nada impõe, tudo compreende, tudo perdoa..
sua companhia é doce melodia, é convite a viver...
...e tudo isso se chama amor!
surge depois que as nuvens ilusórias da paixão se desvanecem.
que a alma se mostra nua, sem efeitos, sem fantasias, sem máscaras..
enfim, o amor é este sentimento que brota todos os dias, como a flor que explode de um botão, ao mais sutil beijo do sol...
isso, sim, se chama amor...






extraído do site: www.livrariamundoespirita.com.br

12 de ago de 2011

eu quero um dia chegar e contar histórias alucinante da minha infância e da minha adolescência, das coisas loucas que eu vivi, das festas, dos vários machucados, nos braços quebrados, rir de acontecimentos que na hora não tiveram graça, contar como a gente se vestia, o que a gente fazia, lembrar dos colégios, dos professores e dos amigos incríveis que fiz ao longo da minha vivência. amigos que eu poderia dizer de boca cheia que são os melhores, que foram com quem eu passei os melhores momentos da minha vida. amigos que se tornaram irmãos, primos, pessoas amadas e com mil defeitos, mas maravilhosos aos meus olhos. amigos de longa data, amigos de um verão, amigos à distância, amigos que o tempo trouxe e que eu nao deixei mais ir embora. amigos que me ajudaram muito em momentos difíceis e aqueles que vinham sempre com um sorriso no rosto e uma história louca pra contar. um dia eu ainda vou dizer que o meu tempo aqui não foi em vão e que eu levo no meu coração somente felicidade.